10 de maio

maes 2013

13 de abril

concreto

Na imagem acima, o resultado de um teste de criação e aplicação de textura e iluminação no Cinema 4D. Procurávamos criar um material que fosse o mais realista possível para criar a aparência de concreto desgastado e sujo. Graças à combinação de várias imagens trabalhadas para simular cor, relevo e imperfeições, o resultado ficou praticamente idêntico ao concreto real. Esse é apenas uma das muitas aplicações que os programas de criação de imagens 3D podem oferecer. É muito mais prático e econômico criar certos elementos virtualmente do que fazê-los no mundo real. Esperamos que tenham gostado.

28 de março

Pascoa

08 de março

Dia da Mulher
02 de outubro

Das Haus: uma marca com sabor especial

dashaus1

A Das Haus é uma das torterias mais tradicionais de Brasília. A casa, famosa por suas tradicionais receitas da confeitaria alemã, passou por várias mudanças, entre elas uma reformulação da identidade visual. A 2a2 Design fez o trabalho de revitalização da marca, procurando transmitir uma imagem mais contemporânea. Todo o redesenho foi pensado de maneira a transmitir mais leveza e modernidade sem fugir da sua origem alemã.

dashaus2

Isso foi conseguido criando-se um ícone que representa, de maneira quase minimalista, uma construção característica da região da Baviera, de onde parte toda a inspiração para as tortas e salgados servidos na Das Haus. Um trabalho delicioso de ser feito. 

 

02 de outubro

Lookbook Bia Balu: roupa de princesa

lookbook

Imagine uma marca de confecção infantil cujo diferencial é altíssima qualidade das peças produzidas, com o foco na originalidade, exclusividade e cuidado com os detalhes. Essa é a proposta da Bia Balu, criada para vestir as princesinhas de Brasília. O lookbook de lançamento da marca não poderia deixar de mostrar todas essas características à sua clientela exigente.

lookbook2

Todo o trabalho de programação visual ficou por conta da 2a2 Design, que criou uma peça baseada no conceito de scrapbook, porém sem muitas interferências que pudessem desviar a atenção das roupas vestidas pelas modelos. Mesmo os elementos decorativos presentes nas páginas foram feitos a partir de detalhes dos vestidos. Para complementar as ações de promoção da marca, a 2a2 Design criou um folder com algumas das peças presentes no lookbook.

lookbook3

lookfolder

 

27 de agosto

Beleza nos detalhes

tste

Nós, aqui da 2a2 Design, adoramos artistas que ainda tem a capacidade de trabalhar com materiais tradicionais, como papel, lápis, tintas, etc. Sendo assim, não há como não ficar encantado com as peças de Sarah Dennis, designer britânica que faz maravilhas com recortes de papel. Ela produz imagens sensacionais que ilustram desde peças de publicidade até livros infantis e matérias jornalísicas. Além das imagens que colocamos aqui, você pode conferir mais do trabalho da Sarah em seu site: http://www.sarah-dennis.co.uk/

Não deixe de conferir o link para o blog da artista. Ela mostra um pouco do seu processo de trabalho, bem como seus projetos mais recentes. Vale à pena dar uma olhadinha para buscar inspiração.

sarah1

sarah2

26 de agosto

Armazenagem de dados em DNA.

tste

Depois do disquete, do CD-ROM, do DVD e do pendrive, o DNA pode ser a próxima forma de armazenamento de dados. Uma equipe de cientistas da Harvard University foi capaz de converter um livro de 53 mil palavras, 11 imagens e um aplicativo em javascript em uma cadeia de moléculas de DNA. Os dados foram armazenados em pares de nucleotídeos (que você já deve ter ouvido falar em aulas de Biologia), que recebem as informações em forma de código binário e são reunidos em uma cadeia de DNA.

Para ler tudo de volta, basta usar uma tecnologia de sequenciamento de DNA – algo acessível apenas em laboratórios, por enquanto. Os erros encontrados no livro convertido (um total de 5,37 Mb, recorde de armazenamento nesse material até agora) foram mínimos, fato que animou os cientistas.

Claro que o processo de codificação e decodificação dos dados nessas moléculas não é nada simples, assim como a síntese das cadeias de informação em blocos menores. O custo ainda é alto, mas os cientistas já estão pevendo vantagens para o futuro: o DNA é extremamente abundante (é base para todas as formas de vida) e pode durar mais do que outros materiais, mesmo exposto em condições das mais adversas. Além disso o método seria mais econômico, devido ao tamanho das unidades de armazenamento, muito melhor até do que as memórias flash.